Interação Feminina
Tudo sobre universo feminino

Cirurgia íntima: algumas razões para considerar uma cirurgia de rejuvenescimento vaginal

Saiba quando e por que procurar este procedimento estético

0

A busca pela cirurgia íntima feminina cresceu bastante nos últimos anos. Estando algumas vezes na mídia e se tornando cada vez mais frequente no senso comum, não é de surpreender a busca por cada vez mais informações sobre este procedimento estético.

Antes de mais nada, é preciso informar que nem todas as mulheres efetivamente precisam desta cirurgia. Inclusive, parte do público que busca pelo rejuvenescimento vaginal o faz por falta de conhecimento sobre sua própria anatomia ou por puramente uma questão de autoestima mal resolvida.

São poucos os casos em que este procedimento estético é realmente necessário, e por conta dessas questões, nós falaremos mais sobre quando optar pela cirurgia e quais são os motivos corretos para embarcar nesta viagem.

Pronta para saber mais a respeito? Continue sua leitura até o final!

Quando a cirurgia íntima é bem-vinda?

A cirurgia íntima é bem-vinda quando uma mulher sofreu grande alteração estética na sua genitália ao longo da vida ou quando ela sente algum desconforto físico durante o ato sexual ou atividade cotidiana.

Para aquelas que perderam muito peso ou fizeram o parto normal mais de uma vez, é possível ver uma diferença visual considerável na região da vulva que pode gerar diferenças e até mesmo falta de confiança na hora da relação.

Quanto ao grupo de mulheres que sentem desconforto físico durante o ato sexual, é preciso ter um pouco mais de cautela para poder fechar um diagnóstico mais adequado. Caso o problema não seja de origem clínica, é possível conversar mais com o ginecologista para saber algumas das soluções que podem ser tomadas.

Deve ser ressaltado que até mesmo o envelhecimento pode mudar a aparência da vagina, assim como ferimentos ou outros traumas na região. Em alguns casos mais raros, algumas mulheres podem ter os grandes lábios maiores do que o normal, causando desconforto ao vestir roupas ou até mesmo um problema de autoimagem debilitante para as situações diárias.

Se você se enquadra em um desses grupos, a cirurgia íntima pode ser bem-vinda e também pode ajudar com seu lado emocional. Entretanto, é preciso cautela e entender que assim como qualquer outro procedimento existem alguns riscos atrelados nesta medida.

Mais à frente, falaremos quando esta opção não é uma boa alternativa.

Quando o procedimento não é uma boa opção?

Apesar da estética hoje ser considerada extremamente importante, saiba que ela não deve ser sua única razão para embarcar em uma cirurgia plástica.

Como citamos, algumas mulheres se sentem inseguras puramente por não conhecer sua própria anatomia. E com o bombardeamento constante de imagens com padrões de beleza raros ou inalcançáveis, é possível que surjam dúvidas acerca do seu próprio corpo.

A cirurgia íntima feminina também é conhecida como labioplastia. Isso significa dizer, em termos mais simples, que o procedimento consiste na redução dos pequenos lábios vaginais.

Entenda que estes lábios — tanto os internos quanto os externos — são fundamentais para sua saúde, e que ainda sim eles farão parte da sua vida, independentemente da realização ou não da cirurgia.

Nenhum cirurgião removerá por completo essas estruturas da sua área genital.

Também é preciso entender que nem sempre a cirurgia pode dar o resultado que você espera ou tem como expectativa. Para isso, é fundamentalmente importante conversar com seu ginecologista ou cirurgião plástico para conseguir entender o que é realmente possível.

Boa parte dos casos em que há um ligeiro descontentamento estético, uma simples consulta com um ginecologista pode te ajudar a trazer a segurança e confiança que você precisa.

Entretanto, se você se enquadra em alguns dos grupos que informamos no tópico acima, sugerimos que você continue sua leitura e compreenda um pouco mais sobre esta cirurgia que vem ganhando cada vez mais espaço.

Quais são os benefícios?

Os benefícios da ninfoplastia — como a cirurgia íntima feminina também é conhecida — são vários, veja abaixo alguns dos principais:

  • Maior confiança e autoestima durante e fora do ato sexual;
  • Maior sensibilidade nas relações sexuais (benefício mais visto em mulheres que fizeram mais de um parto normal);
  • Visível melhora estética;
  • Facilidade para vestir roupas casuais ou íntimas.

Um bom cirurgião plástico realiza o procedimento levando em conta sua própria anatomia e simetria, fazendo com que seus resultados estéticos sejam agradáveis aos olhos e livre de riscos para saúde.

O ideal é que você procure por um profissional experiente e com bom currículo. O nível de conforto e confiança dentro do consultório também é um fator importante e que deve ser determinante no momento da sua tomada de decisão.

Não se esqueça que assim como toda cirurgia, existe a possibilidade de complicações e há um período de recuperação. Não esqueça de tirar todas suas dúvidas antes de optar pela cirurgia íntima.

Quais as principais perguntas que devem ser feitas antes do procedimento?

Para que você não entre no consultório sem ter nenhuma ideia do que perguntar, nós separamos algumas das principais questões acerca deste procedimento estético.

São elas:

  • Quais são as opções para anestesia?
  • Existirão cicatrizes?
  • Haverão pontos? Se sim, após quanto tempo será feita a retirada?
  • Quais são os preparativos para o dia da cirurgia?
  • Quais são as possíveis complicações e riscos do procedimento?
  • Quais resultados posso esperar?
  • Quanto tempo leva para ter recuperação total?
  • Precisarei ficar ausente das minhas atividades profissionais?
  • Quais são as chances dos riscos associados a cirurgia?

Fora essas perguntas, não deixe de questionar sobre a formação do profissional e até mesmo sobre a quantidade de procedimentos que o cirurgião já realizou.

Saber mais sobre os exames pré-operatórios também pode ser importante, especialmente se você tiver alguma condição médica. Não se esqueça de informar todo seu quadro de saúde antes de se submeter a qualquer tipo de cirurgia.

Todos esses cuidados poderão garantir um procedimento mais seguro e com baixa probabilidade de complicações. Em caso de dúvidas, procure uma segunda opinião ou tire um tempo um pouco maior para pensar e pesar os riscos da sua condição em especial.

Gostou do conteúdo de hoje sobre cirurgia íntima feminina? Não deixe de comentar abaixo sua opinião ou dúvidas sobre o assunto!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.